Home > Section Overview > Tratamento
 
 

O desenvolvimento de várias medicações e intervenções psico-sociais tem melhorado muito a perspectiva de pacientes com esquizofrenia. Os antipsicóticos mais novos são capazes de ajudar a controlar os sintomas do transtorno sem causar tantos efeitos adversos estigmatizantes. Orientação e outras intervenções psico-sociais podem ajudar os pacientes e seus familiares a aprenderem a controlar o transtorno mais efetivamente, reduzir a perturbação social e ocupacional, e melhorar a reintegração social de pessoas com esquizofrenia. Pesquisas em busca de tratamentos mais seguros e efetivos estão sendo realizadas. Além disso, estudos continuados sobre o melhor prognóstico da esquizofrenia nos países em desenvolvimento (e não nos países desenvolvidos) podem sugerir estratégias que possam ser aplicadas globalmente para melhorar a expectativa de pacientes com esquizofrenia em qualquer lugar do mundo.

Estes são os três componentes principais do tratamento da esquizofrenia:

  • Medicamentos para aliviar os sintomas e prevenir recaídas;
  • Educação e intervenções psico-sociais para ajudar os pacientes e seus familiares a solucionar problemas, lidar com o estresse, enfrentar a doença e suas complicações, e ajudar a prevenir recaídas;
  • Reabilitação social para ajudar os pacientes a se reintegrarem na comunidade recuperando a atividade educacional ou ocupacional.

Os médicos devem estar cientes dos princípios descritos na Declaração da World Psychiatric Association de Madri, publicada em 1996, que salientou a importância de se manter a par dos desenvolvimentos científicos, transmitindo informações atualizadas e aceitando o paciente como um parceiro no processo terapêutico. Também é importante que as várias técnicas de tratamento sejam oferecidas de uma forma integrada, por exemplo, usando os princípios de equipes de tratamento (Kanter 1989). Isso garante que todos os esforços estejam focalizados sobre as mesmas metas e que o paciente e seus familiares identifiquem uma linha terapêutica comum nos planos de tratamento. Finalmente, os médicos devem incentivar seus pacientes e familiares a participarem de grupos de apoio, que podem fornecer ajuda e orientações valiosas para enfrentar melhor a doença.

Medica´┐Ż´┐Żes Antipsic´┐Żticas / Os medicamentos comumente utilizados para tratar a esquizofrenia pertencem geralmente a dois grandes grupos:

  1. Antipsic´┐Żticos convencionais (chamados antigamente de neurol´┐Żpticos)
  2. Antipsic´┐Żticos novos (tamb´┐Żm denominados antipsic´┐Żticos de segunda gera´┐Ż´┐Żo ou "at´┐Żpicos")

Antipsic´┐Żticos convencionais / Os primeiros medicamentos antipsic´┐Żticos convencionais foram introduzidos na pr´┐Żtica cl´┐Żnica em meados dos anos 50. O termo ´┐Żconvencional´┐Ż (ou ´┐Żtradicional´┐Ż) ´┐Ż usado em rela´┐Ż´┐Żo a todas as drogas antipsic´┐Żticas desenvolvidas antes da introdu´┐Ż´┐Żo da clozapina. Esses antipsic´┐Żticos eram denominados neurol´┐Żpticos devido a seus efeitos adversos caracter´┐Żsticos sobre o sistema motor extrapiramidal, incluindo distonia, parkinsonismo, discinesia, e acatisia. Essas drogas mostraram-se ´┐Żteis na redu´┐Ż´┐Żo, e ´┐Żs vezes elimina´┐Ż´┐Żo, dos sintomas positivos de esquizofrenia, como transtorno do pensamento, alucina´┐Ż´┐Żes, e del´┐Żrios. Tamb´┐Żm s´┐Żo capazes de reduzir os sintomas associados como agita´┐Ż´┐Żo, impulsividade, e agressividade. Infelizmente, n´┐Żo eram muito eficazes na redu´┐Ż´┐Żo dos sintomas negativos da esquizofrenia, como apatia, isolamento social, e escassez de id´┐Żias. Se esses rem´┐Żdios forem tomados consistentemente, tamb´┐Żm podem reduzir o risco de recidivas. A introdu´┐Ż´┐Żo de medicamentos antipsic´┐Żticos efetivos tornou muito mais vi´┐Żvel tratar pacientes com esquizofrenia dentro da comunidade, evitando-se a readmiss´┐Żo ao hospital. A medica´┐Ż´┐Żo antipsic´┐Żtica tamb´┐Żm pode ajudar as pessoas com esquizofrenia a se beneficiarem de formas psico-sociais de tratamento.

Medica´┐Ż´┐Żes antipsic´┐Żticas convencionais (tradicionais) comuns*

Benperidol Levomepromazine
Bromperidol Oxypertine
Butaperazine Penfluridol

Chlorpromazine Perazine
Chlorptothixene Periciazine
Clopenthixol Perphenazine
Clotiapine Pimozide

Droperidol Pipamperone

Fluanisone Promazine
Flupentixol Promethazine
Fluphenazine Sulpiride
Fluspiriline Thioridazine

Haloperidol

* Os nomes dos produtos variam de pa´┐Żs para pa´┐Żs e mais de um nome de produto pode ser usado para a mesma droga dentro de um pa´┐Żs.

Antipsic´┐Żticos novos / Enquanto o foco nos primeiros anos do desenvolvimento da droga era principalmente sobre a redu´┐Ż´┐Żo de sintomas positivos, como alucina´┐Ż´┐Żes e del´┐Żrios, atualmente os pesquisadores est´┐Żo trabalhando para desenvolver drogas antipsic´┐Żticas com menos efeitos adversos e melhor efic´┐Żcia contra sintomas tanto negativos quanto positivos; fatores que ajudar´┐Żo a melhorar a qualidade de vida e que s´┐Żo cruciais nos esfor´┐Żos atuais de tratamento e reabilita´┐Ż´┐Żo. A clozapina foi a primeira droga antipsic´┐Żtica desenvolvida que causava muito poucos efeitos adversos extrapiramidais (EPS). A clozapina foi seguida por v´┐Żrias outras drogas novas (vide Ap´┐Żndice D) com essa mesma vantagem. Os termos antipsic´┐Żtico "novo", "de segunda gera´┐Ż´┐Żo", ou "at´┐Żpico", s´┐Żo usados para denominar esse grupo de medica´┐Ż´┐Żes, sendo novo o termo preferido porque a atipicidade ´┐Ż dif´┐Żcil de definir. Tamb´┐Żm parecem ter vantagens sobre os antipsic´┐Żticos tradicionais na melhora de sintomas negativos e induzem pouco ou nenhum aumento relevante nos n´┐Żveis de prolactina.

Educa´┐Ż´┐Żo e Outros Tratamentos Psico-sociais / H´┐Ż muito percebemos que fatores psico-sociais afetam o tratamento, o progn´┐Żstico, o curso e o resultado da esquizofrenia. Mesmo que as terapias medicamentosas tenham revolucionado o tratamento da esquizofrenia, os ´┐Żltimos anos testemunharam uma conscientiza´┐Ż´┐Żo crescente suportada por evid´┐Żncias cient´┐Żficas de que as interven´┐Ż´┐Żes psico-sociais t´┐Żm um impacto consider´┐Żvel sobre os resultados do tratamento da esquizofrenia. Interven´┐Ż´┐Żes psico-sociais envolvem o uso de estrat´┐Żgias e t´┐Żcnicas de tratamento psicol´┐Żgico ou social para reduzir ou eliminar preju´┐Żzos cognitivos, psico-sociais e sociais, bem como as incapacidades, disfun´┐Ż´┐Żes, e obst´┐Żculos, facilitando a reintegra´┐Ż´┐Żo social e a reabilita´┐Ż´┐Żo psico-social. Em termos pr´┐Żticos as interven´┐Ż´┐Żes psico-sociais objetivam reduzir sintomas positivos e negativos, melhorar o insight e a ader´┐Żncia ao tratamento, prevenir reca´┐Żdas, melhorar as habilidades sociais e de comunica´┐Ż´┐Żo, e fornecer estrat´┐Żgias para enfrentar e lidar com o estresse. A interven´┐Ż´┐Żo psico-social ´┐Ż o complemento ideal para as terapias medicamentosas.
     Os problemas enfrentados por pessoas com esquizofrenia s´┐Żo sociais, pessoais, cl´┐Żnicos e ´┐Żs vezes pol´┐Żticos (ex., discrimina´┐Ż´┐Żo). Como o impacto da esquizofrenia ´┐Ż sentido em muitos aspectos da vida, o tratamento efetivo deve ser direcionado a m´┐Żltiplos problemas, inclusive a identifica´┐Ż´┐Żo precoce de uma reca´┐Żda, preven´┐Ż´┐Żo de reca´┐Żdas, melhor insight e ader´┐Żncia ao tratamento, psico-educa´┐Ż´┐Żo, viv´┐Żncia familiar, assist´┐Żncia comunit´┐Żria e assist´┐Żncia em outros setores especiais, habilidades sociais e reabilita´┐Ż´┐Żo.
     Praticamente todas as compara´┐Ż´┐Żes rigorosas de t´┐Żcnicas m´┐Żdicas e de reabilita´┐Ż´┐Żo social mostraram que a medica´┐Ż´┐Żo combinada ´┐Ż reabilita´┐Ż´┐Żo social leva a um melhor resultado do que qualquer uma das t´┐Żcnicas isoladas. Os medicamentos freq´┐Żentemente s´┐Żo necess´┐Żrios, mas nunca suficientes, enquanto h´┐Ż uma melhora na reabilita´┐Ż´┐Żo social pelo uso de medica´┐Ż´┐Żes cuidadosamente prescritas.
_______________________
Return to the top of the article